sexta-feira, 9 de outubro de 2015

“Quanto menos somos, melhor passamos”



“A principal característica do século XX é a multiplicação da população do mundo. É uma catástrofe, uma tragédia nõ saber o que fazer a respeito”. (Ernst Gombrich é historiador da arte, na Grã-Bretanha)  



“Tenho quatro filhos e, portanto, já contribuí para a superpopulação mundial”. (Antonio Fagundes - Ator brasileiro). Fonte: Frases para refletir)

Essa frase que dá título a este texto soa um tanto quanto egoísta, mas reflete uma realidade que as pessoas incultas e pobres não conseguem ver e, isso faz delas pessoas irresponsáveis, porque tem filhos como coelhos. Elas formam famílias com um número muito grande de filhos e que sobrevivem na miséria extrema, porque a renda familiar é dividida entre muitas pessoas.   

O governo brasileiro deveria promover profundas mudanças no programa Bolsa Família, passando a pagar um salario mínimo para o casal com um só filho, meio salário mínimo para o casal com dois filhos e um quarto do salário mínimo para o casal com três filhos. A família com mais de três filhos não receberia nenhum tipo de ajuda do governo. Com essa mudança, o governo além de ajudar as famílias abaixo da linha de pobreza com um salário digno, por outro lado estaria estimulando as famílias pobres a fazerem controle de natalidade.

Num mundo onde o emprego humano está desaparecendo, dando lugar à automação e robotização e ao emprego de novas tecnologias é desumano permitir que casais pobres continuem tendo muitos filhos.    

por Joachim Arouche

Siga no  Twitter, no Facebook e no Portalaz ao blog Dom Severino    
Postar um comentário