sábado, 19 de dezembro de 2015

Noblat: Lava Jato põe freio no avanço de Temer

“É muito deprimente ver este papel de conspirador do Michel”, acusou Renan Calheiros
 
O colunista Ricardo Noblat, do Globo, afirmou nesta quarta-feira, 16, que a Operação Catilinárias, que fez buscas e apreensões nas casas de Eduardo Cunha e outros políticos do PMDB foi uma espécie de freio nas articulações do vice-presidente Michel Temer pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff.

"Queixava-se o PT de ser perseguido pela Lava-Jato; de ser o único objeto de vazamentos seletivos de informações destinadas a macular sua imagem; da má vontade com ele do juiz Sérgio Moro; e coisas que tais. Já não pode se queixar. A vez do PMDB chegou. E em grande estilo", afirma Noblat.

Segundo ele, não poderia ter havido momento melhor para dar uma traulitada forte no PMDB. "Haverá um freio no movimento. Cresce o receio no PMDB de que o vice, uma hora dessas, possa ser vítima de uma bala perdida disparada pela Lava-Jato. O PMDB que resiste a cair nos braços de Temer não deixará de continuar resistindo a ele, e ainda mais agora", afirmou.

A propósito: mensagens trocadas entre Cunha e o dono da OAS atropela Michel Temer e faz o presidente nacional do PMDB ser mais cauteloso nas suas conversas e articulações. 
 
Leia na íntegra o texto de Ricardo Noblat. com247
Postar um comentário