sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

O país respira aliviado




O voto do ministro  do STF Luiz Roberto Barroso, de tão bem fundamentado, foi seguido até pelo decano da Suprema Corte  
 
Embora o STF, no julgamento da ação que pedia a anulação da denúncia de impeachment de Dilma Rousseff,  tenha obedecido a um caráter iminentemente técnico, uma dose de patriotismo e civismo foi usada por alguns ministros ao destacarem nos seus votos o radicalismo do pedido de impedimento da presidenta. Pedido feito pela oposição em nome da ambição dos seus  dirigentes que tapam os olhos para não enxergarem o momento de extrema gravidade que este país está vivendo.

O resultado desse julgamento representa uma vitória para o governo. Com a decisão do STF, o processo de impeachment praticamente zera e a Câmara terá que refazer a eleição para a comissão especial que analisará o pedido de impedimento de Dilma Rousseff.

Esse resultado desfavorável ao presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha e Michel Temer, que mantém uma  sintonia fina, por razões óbvias demais
Dessa forma,  o Brasil se sente aliviado e o governo menos oprimido pela oposição, o que  permitirá a presidenta se dedicar mais à gravíssima crise econômica. E mais aliviado, o país se sentirá quando Eduardo Cunha for preso e Michel Temer denunciado pelo MPF.
Postar um comentário