terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Urge pacificar o país


Quem acha que com esse 'cabo de guerra', onde cada um puxa para o seu lado é possível encontrar uma saída para nossa grave crise política, está pensando errado. Só um projeto de união nacional salvará este país. É óbvio que uma hora uma das equipes vai vencer, mas quando isso acontecer, talvez não reste mais ninguém vivo.

Ninguém tem duvida de que este país está dividido. Sendo que o governo leva uma ligeira vantagem sobre a oposição, devido aos programas sociais criados e ampliados pelos governos petistas, com destaque para o Bolsa Família que tirou milhões de brasileiros da linha de pobre absoluta.  

O momento que vivemos é de extrema gravidade, porque não existe consenso sobre a necessária e urgente votação do ajuste fiscal e a recriação da CPMF. Este último, um remédio amargo, porem necessário para que o país retome o caminho do desenvolvimento. Sem ajuste fiscal e sem CPMF, continuaremos caminhando rumo ao precipício. É que existe um rombo nas contas públicas.

Com o país dividido entre a situação (governo) e a oposição representada pelo PSDB, DEM e PPS e a banda podre do PMDB, não há opiniões convergentes, o que impede um encontro entre essas duas forças políticas para estabelecer um diálogo que permita ao país vencer as crises política e econômica que ameaçam provocar uma crise ainda maior, que é uma crise institucional.

A Igreja Católica deveria servir como elo de ligação entre o governo, a oposição e a sociedade civil organizada, para reuni-los em torno de uma mesa e com espíritos desarmados para  encontrar uma saída para essa encruzilhada em que o Brasil se encontra.  
  
Joachim Arouche  

Siga no  Twitter, no Facebook e no Portalaz ao blog Dom Severino

Postar um comentário