segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

No Brasil tudo se transforma em comércio e indústria



O carnaval brasileiro que já foi considerado a maior festa popular do mundo, é atualmente uma festa para ricos e endinheirados e também vitrines promocionais do maior produto de exortação brasileiro: a mulher de bundão e peitos siliconados.

Os pobres hoje em dia, no carnaval brasileiro só participam dessa festa monumental, como escultores, pintores, bordadeiras, carpinteiros, vidraceiros, costureiras e empurradores de carros, em suma: como mão de obra, porque os destaques das escolas de samba são socialites, modelos, atrizes da televisão e jogadores de futebol.   

Ocorre que os bicheiros descobriram no carnaval um meio de lavar dinheiro e com o crescimento dessa festa, passaram a investir nas escolas de samba como se fosse um comércio ou uma próspera indústria.

O carnaval, assim como a religião, são atividades que geram muitos empregos e movimentam o comércio durante todo o ano, porque nem bem acabam os desfiles e os barracões e as igrejas já estão em plena atividade.     
Postar um comentário