sexta-feira, 4 de março de 2016

Delcídio Amaral: “El vingador”


Embora o senador Delcídio Amaral (PT-MS) negue que aceitou o instituto da delação premiada, os fatos depõem contra as negativas do ex-líder do governo Dilma Rousseff no Senado.

A revista Isto É que que acaba de chegar às bancas e apresenta Delcídio Amaral, como suposto delator do ex-presidente da república Luís Inácio Lula da Silva e da presidenta Dilma Rousseff, caiu como uma bomba no Palácio do Planalto, o que obrigou o governo a escalar o ex-ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para fazer uma defesa prévia de Lula e de Dilma.

Insisto na tese de que a presidenta Dilma Rousseff para salvar o seu governo, tem que jogar o PT e os petistas envolvidos com malfeitos ao mar, ou seja, se livrar do PT e de petistas do mal, fazer um rearranjo na sua base de sustentação e buscar a formação de um pacto nacional pela governabilidade. Um pacto que permita ao governo fazer as reformas previdenciária, política, econômica e trabalhista. Não necessariamente nesta ordem.

Se confirmadas as acusações de Delcídio Amaral contra Lula e Dilma, o país passará por uma grande turbulência política ,que ninguém poderá prever as suas consequências mais imediatas.

A propósito: o senador Delcídio Amaral não é um petista orgânico, porque começou sua trajetória no PSDB e com a ascensão do PT, ele migrou para o partido de Lula. Um ex-tucano, portanto.

Postar um comentário