segunda-feira, 28 de março de 2016

É motivo para rir ou chorar?




É motivo para rir ou chorar? Eu fico com a segunda opção
 
A possibilidade do PMDB assumir a presidência da república em substituição ao Partido dos Trabalhadores (PT) é motivo de muita apreensão de parte do Brasil consciente, porque o partido presidido pelo vice-presidente da república Michel Temer vem influindo negativamente nos destinos deste país, desde a fundação da Nova República. Um partido que se profissionalizou na arte da corrupção e da prática da política do toma lá dá cá.   

Deve-se ao ex-deputado paulista Roberto Cardoso Alves (PMDB), o Robertão, em 1988, a adaptação de parte da Oração de São Francisco de Assis ao momento político brasileiro da frase: “É dando que se recebe”. Robertão proclamou essa parte de uma oração católica durante a Constituinte, ao incentivar o presidente José Sarney a distribuir cargos e emissoras de rádio em troca de mais um ano de mandato.

A possibilidade do Brasil vir a ser governado pelo PMDB desperta na consciência nacional um sentimento de revolta para com a política nacional, porque o PMDB é um partido fisiologista, pragmático e que tem como filosofia, a oração de São Francisco de Assis que Robertão introduziu no ideário peemedebista.

O PMDB participa do governo Dilma Rousseff com sete ministérios, centenas de cargos no segundo e terceiro escalões e o vice-presidente da república que eventualmente substitui a presidenta - e a cúpula desse partido ainda tem o desplante, a desfaçatez e a ousadia de querer se apresentar ao país como uma alternativa de poder ao desgoverno de Dilma e Temer.

É melhor convocar os militares para colocar ordem na Casa de Irene.
Postar um comentário