terça-feira, 15 de março de 2016

Greve continua por falta de acordo



Os trabalhadores em educação da rede estadual participaram de audiência de conciliação no Tribunal de Justiça nesta segunda-feira (14) entre o SINTE-PI, governo, OAB-PI e MPE, mediada pelo desembargador Francisco Paes Landim. O encontro contou com a participação do diretor da CNTE Heleno Araujo. 

O governo recuou, depois de apresentar uma proposta de duas parcelas, agora serão três sendo março (retroativa a janeiro), agosto e novembro. As propostas do governo apresentadas até hoje foram rejeitadas e a categoria decide que a greve continua, finalizou um diretor do Sinte-PI. 

A greve completa hoje 29 dias. 

Proposta apresentada pelo desembargador Paes Landim foi:

– 5% pagamento em março retroativo a janeiro;

– 6,36% em setembro, para os professores.

Mesmo sendo cobrado pelo sindicato uma posição dos servidores administrativos, o magistrado não julgou porque o governo não apresentou no pedido de conciliação. 

Depois da Semana Santa o Pleno do tribunal de justiça se reúne para decidir sobre a legalidade da greve. O Sindicato tem prazo de 15 dias a partir de hoje, para apresentar defesa ao TJ-PI. 

Sem acordo com a decisão e com palavras de ordem de continuidade da greve, os trabalhadores em educação saíram do Tribunal em passeata pela avenida Frei Serafim até o Palácio de Karnak, onde estão acampados até que se chegue a um consenso.

A audiência aconteceu no Plenário do TJ-PI e contou com os presidentes e representantes de todos os 27 Núcleos Regionais do Sinte-PI que representam todos os municípios do Piauí. 

Assembleia 

A categoria realiza assembleia geral para avaliar a decisão nesta terça-feira 15/03 no Teatro de Arena, localizado na Praça da Bandeira no Centro de Teresina, a partir das 9 horas.
Postar um comentário