quarta-feira, 30 de março de 2016

O PMDB apostou no caos e o caos vai se estabelecer



Dilma e Temer em plena lua de mel

Num eventual governo do PMDB, o Partido dos Trabalhadores (PT), os partidos alinhados à esquerda e os movimentos sociais não devem cooperar com um governo formado por políticos que não pensam no país e só tem em mente os seus interesses particulares e dos grupos que representam.

Longe de mim tolerar, compactuar e defender aqui os malfeitos praticados por políticos que formam a base aliada do governo da presidenta Dilma Rousseff, mas, num momento como este que o país vem atravessando, o mais sensato a fazer é investir num pacto de governabilidade e, quem tiver ideias para salvar o Brasil do atoleiro em que petistas e peemedebistas o colocaram - que se apresente, porque nessa crise não haverá salvação individual. Ou nos salvaremos todos ou todos nós seremos consumidos por essa tragédia anunciada.

O PMDB que se apresenta neste momento como alternativa ao governo Dilma Rousseff, não tem moral suficiente para fazê-lo, porque o partido dirigido por Michel Temer é governo. Se o PT é responsável por essas crises, o PMDB também é, porque um partido que tem seis ministros, seiscentos cargos e o vice-presidente da república que eventualmente assume um cargo nesse governo, não pode ter a ousadia e o desplante de querer se apresentar ao país como oposição. Cinismo é pouco para qualificar o comportamento dos peemedebistas que romperam com o governo. 

O PMDB é o partido do toma lá dá cá e quem inaugurou no país o balcão de negócios, onde o governo troca apoio por cargos.  

Dilma e Temer em plena lua de mel



Num eventual governo do PMDB, o Partido dos Trabalhadores (PT), os partidos alinhados à esquerda e os movimentos sociais não devem cooperar com um governo formado por políticos que não pensam no país e só tem em mente os seus interesses particulares e dos grupos que representam.

Longe de mim tolerar, compactuar e defender aqui os malfeitos praticados por políticos que formam a base aliada do governo da presidenta Dilma Rousseff, mas, num momento como este que o país vem atravessando, o mais sensato a fazer é investir num pacto de governabilidade e, quem tiver ideias para salvar o Brasil do atoleiro em que petistas e peemedebistas o colocaram - que se apresente, porque nessa crise não haverá salvação individual. Ou nos salvaremos todos ou todos nós seremos consumidos por essa tragédia anunciada.

O PMDB que se apresenta neste momento como alternativa ao governo Dilma Rousseff, não tem moral suficiente para fazê-lo, porque o partido dirigido por Michel Temer é governo. Se o PT é responsável por essas crises, o PMDB também é, porque um partido que tem seis ministros, seiscentos cargos e o vice-presidente da república que eventualmente assume um cargo nesse governo, não pode ter a ousadia e o desplante de querer se apresentar ao país como oposição. Cinismo é pouco para qualificar o comportamento dos peemedebistas que romperam com o governo. 

O PMDB é o partido do toma lá dá cá e quem inaugurou no país o balcão de negócios, onde o governo troca apoio por cargos. 

O PMDB apostou no caos e o caos vai se estabelecer. Viva o PMDB! 

por Joachim Arouche
Postar um comentário