segunda-feira, 28 de março de 2016

Uma transição com Dilma seria menos traumática


Alguém de bom senso e com autoridade moral neste país, deveria propor ao Partido dos Trabalhadores (PT) e ao PMDB, os dois maiores partidos brasileiros um pacto de salvação nacional, sem o qual não há saída possível para as crises que paralisam o país. Engana-se quem pensa que poderá levar vantagem com a saída da presidenta Dilma Rousseff do governo pelas portas do fundo.

Esse pacto de salvação nacional que a CNBB, a OAB, a UNE, as centrais sindicais e as Forças Armadas deveria propor aos beligerantes PMDB e PT é no sentido do atual governo fazer as reformas de base, sem as quais o Brasil não saíra do atoleiro em que foi colocado.

Se o PMDB tem a formula para tirar o país da crise com o impedimento da presidenta Dilma Rousseff ao se negar a formar um pacto pela governabilidade presente e futuro, a cúpula do PMDB demonstra que quer mesmo é ver o circo pegar fogo.

Como o PMDB e os partidos que apoiam essa ideia maluca do impeachment de Dilma Rousseff não querem colaborar com o atual governo, caso ocorra um eventual governo peemedebista, a oposição liderada pelo PT e os movimentos sociais não colaborarão com o futuro governo. E ai é o caos que veremos.    

Dificilmente Temer terá o apoio da maioria do povo brasileiro, principalmente da classe média, média e dos pobres e excluídos, porque o governo de transição que está sendo proposto por Michel Temer e os seus aliados, não será formado com base no mérito, mas no nível de apoio e da importância do partido apoiador. Digamos que esse eventual governo seja a repetição dos governos anteriores e, isso o Brasil esclarecido não tolerará. Quem viver verá!

Ruim com ela, pior sem ela!
Postar um comentário