terça-feira, 17 de maio de 2016

Cunha não teria optado por Waldir se não confiasse nele



O presidente em exercício da Câmara Federal, o deputado federal Waldir Maranhão (PP-MA), na realidade não passa de um ‘preposto’ do deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), alguém que foi escolhido como companheiro de chapa, para numa eventualidade assumir o comando de uma empresa ou entidade, por ser uma pessoa de extrema confiança. Esse parece ser o caso desse parlamentar maranhense.   

O episódio da anulação do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, determinado por Maranhão, ao contrário do que muita gente pensa, não foi uma patacoada, mas um recado de Cunha ao presidente provisório que em algum momento demonstrou interesse em se livrar e um companheiro indesejável.

Como já disse aqui, o deputado federal Maranhão é um político ladino, esperto, ardiloso, astucioso e oriundo de uma grande escola dessa política atrasada, esclerosada, subdesenvolvida e terceiro-mundista que é o estado do Maranhão.

Segundo se comenta, o deputado federal Cunha, controla mais de 200 deputados na Câmara Federal o que somado a enorme capacidade dessa casa legislativa em oferecer mimos aos seus membros, garante a permanência de Maranhão na presidência da Câmara Federal até o fim do seu mandato.  

Postar um comentário