terça-feira, 31 de maio de 2016

Um ministério 'podbre' e viciado

O que tem de pobre, também tem de viciado o ministério Temer. Não é à toa que em apenas sete dias, dois ministros do novo governo, já foram demitidos por implicações em supostos casos de corrupção e de ligações com políticos suspeitos de desvio de conduta.  

O primeiro, foi o ministro do Planejamento, Romero Jucá, que até momentos antes de ser exonerado, era tido como o ministro mais forte e influente de um governo que assumiu o poder, não para recuperar a economia, mas, para salvar políticos de partidos que estão envolvidos com a Operação Lava- Jato. Uma salvação que viria com a paralisação de uma operação que está passando este país a limpo. Isso que afirmo fica bastante evidente na gravação de diálogos travados entre o ex-senador Sérgio Machado e cardeais do PMDB.

O segundo ministro a “pedir” demissão foi um ilustre desconhecido que atende pelo nome de Fabiano Silveira, cuja maior virtude é ser amigo e conselheiro do presidente do Senado, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) que está na ‘corda bamba’ sem sombrinha e que tudo leva a crer - não sobreviverá ao segundo semestre deste ano.

A gravação feita por Sérgio Machado, já provocou um verdadeiro terremoto no governo Temer e segundo comentários que circulam por Brasília, a delação mais demolidora e ansiosamente aguardada pelo povo brasileiro é a do ex-presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht.  
Postar um comentário