terça-feira, 12 de julho de 2016

Eleger o candidato menos ruim




Deputada Federal Luiza Erundina (PSOL-SP)  

A disputa que está sendo travada na Câmara Federal, pela sua presidência é uma disputa entre o ruim e o péssimo. Nesse caso, a escolha do novo presidente ou presidente tampão dessa “augusta casa” é votar no menos ruim.

Vencido esse primeiro impasse, eis que um outro se apresenta, ou seja, escolher um nome que represente um desastre menor, para uma das casas do Congresso Nacional. A largada já foi dada e pelo menos 15 candidatos já se habilitaram para suceder o presidente da Câmara Federal, Waldir Maranhão.

De todos os nomes postos, o melhor é o da deputada federal Luiza Erundina, uma parlamentar e ex-prefeita da cidade de São Paulo, cuja biografia não tem nada que macule sua imagem. Mas, como Erundina é uma anticandidata, haja vista, o seu partido ser minúsculo e de esquerda, sua chance é remota, daí, o seu nome não figurar na lista dos elegíveis. Se Erundina ganhar é uma tremenda de uma zebra, infelizmente.

Luiza Erundina é uma candidata limpa, sem nódoa e sem nada que desabone sua conduta moral. O Brasil não merece Luiza Erundina, porque não é um país sério e que mereça ser levado a sério.  
Postar um comentário