segunda-feira, 11 de julho de 2016

O Congresso Nacional é dominado por espertos

E uma muvuca de espertos demais” (trecho da música Malandragem dá um Tempo de autoria de: Popular P, Adezonilton e Moacyr Bombeiro)

O Congresso Nacional é dominado por espertos. Só os vivos de engenho conseguem galgar postos importantes na Câmara e no Senado. Malandragem dá um tempo.

Esse número expressivo de candidatos à presidência da Câmara Federal é a perfeita tradução da malandragem e da esperteza que viceja no Congresso Nacional, pois ocorre que a maioria desses nomes já postos não reúne condições para vir a ser eleito presidente, mas o fato do dito cujo se lançar candidato o credencia a fazer parte de uma das chapas envolvidas na disputa e um cargo na diretoria da presidência dessa casa - significa mais mordomias e vantagens adicionais.  

Dos nomes que se apresentam como candidatos, dois ou três reúnem condições para serem eleitos: os deputados federais Rodrigo Maia (DEM-RJ), Rogério Rosso (PSD-DF) e Beto Mansur (PRB-SP). Dos nomes até aqui postos, só o de Rodrigo Maia não responde a processo no STF.  Isso pode fazer a diferença.

O Palácio do Planalto, embora tenha interesse em ter um presidente da Câmara Federal afinado com o governo, não pode demonstrar interesse por nenhum dos candidatos, para que no futuro não venha a ter um adversário na presidência dessa casa legislativa.     
Postar um comentário