sábado, 13 de agosto de 2016

Temer apela para o fisiologismo mais tradicional


"A pretexto de reorganizar a base congressual do governo, Michel Temer arrisca-se a ser acusado de plágio por Dilma Rousseff”. (do jornalista e blogueiro Josias de Souza)  

O governo do presidente provisório, Michel Temer repete o governo da presidenta afastada Dilma Rousseff e até radicaliza na maneira de escolher os seus auxiliares.

Não há nenhum exagero na afirmação de que o peemedebista Temer, está levando o fisiologismo às últimas consequências, para garantir o apoio necessário à sua efetivação no poder.

A política do “toma lá dá cá ou do é dando que se recebe”, está sendo posta em prática por Temer, sem medir as consequências dos seus atos como por exemplo, ao aceitar indicação para o seu ministério, dos partidos que formam a base aliada do seu governo, sem levar em consideração a biografia e a folha corrida do indicado.

O deputado federal Benjamin Maranhão (SDD-PB), indicado pelo Partido Solidariedade para assumir o novo ministério do Desenvolvimento Agrário, que deverá ser recriado para abrigá-lo é a verdadeira tradução da política velha e atrasada que vem sendo adotada por Temer. E assim caminha a política brasileira - de retrocesso em retrocesso.
Postar um comentário