segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Uma candidata imposta e maquiada



No último sábado (30/7) ocorreu a convenção para homologar a chapa majoritária do grupo que faz oposição ao atual prefeito Avelar Ferreira.

Foi a confirmação de uma candidatura imposta. Arquitetada nos porões do poder em nossa capital. Empurrada goela abaixo de uma oposição fragilizada e incompetente.

A chapa será encabeçada pela candidata de oposição, apelidada de candidata “visitante “. O apelido lhe caiu como uma luva.

A candidata apesar de sanraimundense, sempre foi indiferente para com a nossa cidade. Morando na Capital, suas vindas a São Raimundo eram raras, geralmente em período eleitoral na busca de votos para seu esposo.

A candidata e seus seguidores tentam descontruir o apelido a ela atribuído, alegando que a mesma deixou nossa cidade para ir estudar na Capital. O fato é que ela foi e, por lá ficou. Parecendo ter esquecido a sua origem.

A candidata é mesmo visitante, pois, para preencher os requisitos mínimos exigidos pela lei eleitoral e ter o direito de candidatar-se, a mesma alugou uma casa e transferiu seu domicílio
eleitoral recentemente para cá. Pela primeira vez votará em nossa cidade e, curiosamente, em si mesma.

Chegou pregando o discurso da valorização da força da mulher. Declarando amor a sua terra natal. Apresenta-se como a portadora da boa nova. Segundo ela, transformará nossa cidade em um paraíso. Digno dos melhores contos de fada.

Chegou tarde! A genuína mulher sanraimundense sempre foi valorizada e forte. Sem precisar da ajuda da candidata. Há muitas mulheres que são protagonistas em nossa cidade. Nas mais diversas áreas. Um exemplo disso está na atual administração. Pastas importantes como educação, assistência social, da proteção à mulher e na administração, são comandadas por mulheres.

A candidata se maquia para apresentar-se ao povo como uma legítima sanraimundense.

Dificilmente conseguirá. Onde tem andado é necessário ser apresentada pelos acompanhantes. Essa é a nossa candidata. “Filha de fulano e neta beltrano”. Dizem eles. Mais uma prova que corrobora seu apelido.

A maquiagem é tanta que, de empresária estão querendo transformá-la em cabeleireira. Esperando, assim, torná-la uma pessoa humilde como a maioria do nosso povo. Estão esquecendo de que ela gera empregos é na Capital e não em São Raimundo.

Ela nos ama. Que bom! Esse discurso é chulo. Típico de candidato oportunista que quer ludibriar o eleitor. O amor da candidata por nós é meramente interesseiro e momentâneo. É uma afronta a inteligência dos seus “amados “conterrâneos. O amor da candidata para conosco é aquele barato. É do tipo dito em uma música. Deve valer R$ 1,99.

A candidata imposta e visitante é uma vendedora de ilusões. Quer aproveitar-se da boa fé do povo para alcançar seu projeto de poder.

por Evandro Júnior
Postar um comentário