segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Um país despudorado e desacreditado



O país somos nós. Se o povo de um país é desavergonhado, esse estado é visto com reservas e não merece confiança e crédito pelos estrangeiros.

Uma nação que diariamente ocupa as páginas dos jornais com manchetes desabonadoras, tem uma imagem péssima no exterior e o povo desse país é encarado e visto com suspeição, porque o estrangeiro suspeita das nossas ações e atitudes.

Um país, onde ministros usam aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) para visitar suas bases eleitorais. É isso, você não leu errado. É mesmo visita as suas bases eleitorais, porque, via de regra, o ministro de estado quando não é político com mandato é um ex-parlamentar.  

Nada justifica um ministro de estado usar aviões da FAB para o seu berço político, quando existe aviões de carreira que servem o estado dessa autoridade.

Com base na impunidade e no corporativismo é que as coisas erradas se repetem no Brasil. Não é à toa, que após o escândalo do Mensalão, outros escândalos aconteceram envolvendo políticos e pessoas ligadas aos mesmos partidos e vão continuar acontecendo, porque os processos contra políticos, segundo o ancora do Jornal da Band, o jornalista Ricardo Boechat, levam no mínimo oito anos para serem julgados, o que quando acontece ou o político já morreu ou se aposentou.  

Diante dessa realidade é que o povo brasileiro em recente pesquisa, disse preferir as Forças Armadas aos políticos e outras autoridades. Se as Foças Armadas resolverem intervir na política nacional que a cada dia que passa mais ela se desmoraliza, a maioria expressiva do povo brasileiro sairá às ruas para apoiar os militares.

Existe alguma diferença entre Marcolla, Fernandinho Beira Mar e os assaltantes da Petrobras? Se existe eu não consigo enxergar, porque quem rouba um patrimônio é capaz dos piores vícios.
Postar um comentário