sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

As mulheres não são diferentes dos homens na atividade política

Os impeachments da ex-presidenta Dilma Rousseff, há quase 100 dias e da presidenta da Coreia do Sul, Park Geun-hye, nesta sexta-feira (09/12), ambas envolvidas em escândalos, desmitifica uma lenda nacional, que diz que a mulher é menos corrupta do que o homem e que o sexo feminino é muito mais sensível aos problemas sociais do que o masculino.
 
Na América do Sul, os governos de Cristina Kirchner na Argentina e Dilma Rousseff no Brasil, fracassaram por imaturidade política e pela radicalização na prática de políticas assistencialistas, clientelistas e paternalistas ou maternalistas. O que lhes garantiu um segundo mandato, mas em compensação, arruinaram a economia desses dois países.

A mulher no Brasil que pretender se eleger a qualquer cargo eletivo, apelando para a sua condição de gênero e a sensibilidade feminina fracassará redondamente, porque no poder as mulheres se revelaram iguais aos homens.
E contra as mulheres candidatas ao Poder Executivo, tem mais um agravante: a possibilidade da mulher ser dirigida pelo marido. A propósito, num município do estado do Amazonas, aconteceu um caso bastante emblemático, o de uma prefeita que toda vez que o marido aparecia no seu gabinete ela cedia o seu lugar para o Primeiro Damo

A mulher por insegurança e por submissão ao marido, na chefia do Poder Executivo, acaba sendo uma figura decorativa, porque de fato que governa e o esposo. É óbvio que existem mulheres com personalidades fortes; mulheres que não se deixam conduzir, guiar pelo marido, mas essas infelizmente são exceções.

Em tempo
 
A ex-prefeita do município maranhense de São João dos Patos, Joana da Rocha Santos, Dona Noca. Uma mulher que se destacou na política maranhense e brasileira como mulher de personalidade marcante no seu tempo, motivo que faz com que, até hoje, sua história seja reverenciada no mundo da política. As razões para a reverência à figura da prefeita Dona Noca era sua postura firme e decisiva, mas também, extremamente humana e com um olhar voltado, sobretudo para os mais pobres.

Homem não mandava na prefeita Dona Noca.
Postar um comentário