segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Natal da fome e da miséria




Há poucos dias, ao assistir um documentário sobre a vida do sociólogo Herbeth de Souza, o Betinho - idealizador e criador, juntamente com o Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (IBASE), da campanha Ação e Cidadania Contra a Fome, e a Miséria Pela Vida - senti a necessidade da volta de uma campanha tão bem sucedida como essa, que acabou colocando na agenda nacional o combate contra esse terrível mal que assola grande parte da humanidade.

Essa necessidade se impõe com a política do governo Temer de acabar ou reduzir significativamente o programa Bolsa Família – um programa que além de reduzir a miséria no país, libertou muitos brasileiros que viviam abaixo da linha de pobreza da semiescravidão (do trabalho doméstico mal remunerado e sujeito a humilhação) e da fome.

O programa Bolsa Família, o maior distribuidor e transferidor de renda já promovido pelo governo federal, está sendo morto pelo governo do PMDB, para atender aos interesses do mercado de capitais - que vê nesse programa o aumento dos gastos do governo que se vê obrigado a criar novos impostos, e novos impostos acaba sempre provocando o aumento da inflação. O que na realidade é uma falácia porque os beneficiários desse programa, via de regra, são brasileiros despossuídos e sem acesso a nenhum tipo de informação e meios que lhes permita vencer o imobilismo e ascender socialmente.

Nas regiões Nordeste e Norte e nos bolsões de misérias existentes nas grandes cidades das regiões Sul e Sudeste, a diminuição drástica dos números de beneficiados pelo programa Bolsa Família está fazendo a violência explodir. Isso é só o começo de um problema que poderá levar o país a passar por uma convulsão social.  
Postar um comentário