terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Temer foi respirar novos ares



O presidente Michel Temer fugiu momentaneamente do seu inferno astral, mas não foge dos problemas reais, uma vez que eles estão na sua cabeça.

Essa viagem do presidente da república, Michel Temer à Portugal, para participar das exéquias do político português Mário Soares, o afasta temporariamente dos problemas brasileiros que são muitos e se acumulam e que o chefe do Poder Executivo brasileiro não consegue sequer encaminhá-los.

Temer viajou na companhia do ministro do STF e presidente do Superior Tribunal Eleitoral (STE), Gilmar Mendes, alguém que poderá ajudá-lo a se livrar de uma cassação que parece iminente. É que no STE está em andamento o processo de cassação da chapa Dilma-Temer.

A ajuda que Temer poderá receber do STE é a postergação de um processo que deveria ter sido julgado, antes mesmo do impeachment da ex-presidneta Dilma Rousseff.

Os massacres ocorridos nos presídios de Manaus (AM) e Boa Vista (RR) são tão sérios que o presidente da república não deveria se afastar do país num momento como este de grande turbulência e de quase convulsão social. 

Michel Temer foi respirar novos ares, num momento particularmente difícil, deixando para trás um clima de medo generalizado, porque o que aconteceu nos estados do Amazonas e Roraima, poderá se repetir em Santa Catarina, Rio Grande do Norte, Ceará, Bahia e Maranhão. 

Como Temer irá explicar aos portugueses o clima de guerra e os massacres que já vitimaram mais de uma centena de presidiários e a violência nas grandes capitais que só fazem aumentar? Está muito difícil explicar a situação reinante no país.
Postar um comentário