terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Um lugar no fim do mundo



Esse lugar existe e fica no estado do Piauí. O lugar a que me refiro é um lugar mundialmente conhecido e que poderia funcionar como um grande arrecadador de divisas para este estado, mas, isso não acontece, porque quem visita São Raimundo Nonato, em que pese se sentir maravilhado com as riquezas naturais e patrimoniais do Parque Nacional da Serra da Capivara, não pensa em voltar, porque esse município não dispõe de boa infraestrutura. O acesso à Internet, por exemplo é a coisa mais difícil que existe e quem chega e pensa logo em se conectar com o mundo através da Web, não consegue, porque esse tipo de serviço é precário e rudimentar.   

O deslocamento de Teresina ou Petrolina para São Raimundo Nonato é ruim, porque os ônibus não oferecem nenhum conforto e é muito comum esses ônibus (velhos) quebrarem no meio do caminho. A estrada que liga Teresina a São Raimundo Nonato, até que se apresenta em condições aceitáveis, mas, o trecho entre São Raimundo Nonato e o município de Remanso no estado da Bahia é deplorável.

Agora, o que mais incomoda o turista é o tratamento dispensado pelos nativos. Não por culpa deles, absolutamente, mas pela pobreza cultural de um povo que deveria ser um dos mais evoluídos do estado do Piauí, por conviverem com pessoas procedentes de todos os países do mundo, sobretudo, do país mais rico do ponto de vista cultural que é o francês.

Ia esquecendo de dizer que o preço da passagem aérea no deslocamento entre Teresina e São Raimundo Nonato é inviável para mochileiro e com mais um agravante: não é todo dia que voo entre esses dois municípios piauienses.

A propósito, os governos estaduais nunca foram parceiros dos prefeitos de São Raimundo Nonato e da arqueóloga Niéde Guidon.   

Em tempo, na sede do município de São Raimundo Nonato é muito comum o transeunte cruzar com animais (bois, bodes, cavalos e jumentos) circulando livremente pela cidade. Nesse aspecto, São Raimundo Nonato parece um grande curral, literalmente falando.     

     
Postar um comentário