segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

As opções feitas por Michel Temer



As opções feitas pelo governo Temer são bastante claras e cristalinas até, senão vejamos: o mercado reage bem, sempre que o governo anuncia medidas que contemplam os interesses desse seguimento da economia.

O presidente Temer, tenta de todas as maneiras blindar os seus amigos, muitas das vezes, correndo o risco de ser acusado de conivente.

O núcleo duro do governo Temer vem sendo desfalcado ao ponto de Sua Excelência, o presidente da república convocar um pool de emissoras de televisão para se antecipar às delações de 77 ex-gerentes da Odebrecht - ao afirmar que os ministros cujos nomes forem citados na Operação Lava Jato serão afastados dos seus respectivos cargos até o final das investigações e que os réus serão demitidos sumariamente. 

As reformas previdenciária e trabalhista são do interesse do mercado e o governo vem envidando todos os esforços no sentido de faze-las a toque de caixa. Reformas essas que afetarão o trabalhador brasileiro, sem ouvir o conjunto da sociedade.

Os amigos de Temer, Eliseu Padilha e Moreira Franco em que pese as sérias acusações que pesam contra eles, são mantidos e até promovidos nos seus cargos.

A opção do governo é pelo mercado financeiro e os seus amigos do peito.
Postar um comentário