quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Complô, conspiração e armação ilimitada?



“Com Temer no poder, governo, Congresso, PMDB, integrantes do Judiciário, grupos anti-PT e donos da mídia se movem numa direção que indica tentativa de "delimitar" a operação”. (Da Carta Capital)

A revista Carta Capital no dia de ontem, publicou uma extensa matéria com o seguinte título: “Os 14 atos para estancar “a sangria” da Lava Jato” e enumera todos esses atos que foram planejados para sufocar essa Operação que está a ameaçar o futuro do governo do presidente Michel Temer e a cúpula dos maiores partidos brasileiros.  

Os 14 atos são os seguintes: Leandro Daielo Fora da PF? Silêncio dos grupos anti-PT, Temer blinda ministros, Eunício no Senado, Maia na Câmara, Moreira no Ministério, Alexandre de Moraes no STF, Gilmar Mendes contra Moro, Movimento pró-Cunha, Edson Lobão na CCJ, Alvos da Lava Jato na CCJ, Estadão contra Deltan Dallagnol, CCJ contra Janot e Anistia ao Caixa-dois.

Esses 14 atos elencados pela revista Carta Capital nessa sua matéria, sugere que no Brasil está sendo armado um complô, uma conspiração e uma armação ilimitada para sufocar e depois matar a Operação Lava Jato. Alguém duvida? Eu não!

O governo Temer e o PMDB com esses atos que já estão em marcha, tenta blindar ministros e políticos que já foram citados em delações premiadas anteriores, cujos nomes deverão aparecer em novas delações. Só de ex-funcionários da Odebrecht são 77 os colaboradores.

O senador Romero Jucá, ao tentar emplacar um Pedido de Emenda Constitucional (PEC) para blindar os presidentes do Senado e da Câmara Federal das possíveis delações premiadas, escancarou essa trama que está sendo urdida pelos partidos e o governo federal para, repito, sufocar e matar a Operação Lava Jato.
Postar um comentário