quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

“Não existe democracia sem transparência”, diz a presidenta do STF



Só a Ministra Carmen Lúcia nos salvará dessas trevas e ninguém mais”. (Camila Amaral)

A presidenta do STF, ministra Cármem Lúcia se insurgiu contra uma decisão da conselheira do CNJ, Daldice Santana que votou a favor do Sindicato dos Servidores da Justiça de Tocantins (Sinjusto) que solicitava ao CNJ que barrasse a publicação de informações sobre a produtividade de servidores, juízes e desembargadores do Tribunal de Justiça do Tocantins (TJ-TO).

A ministra considerou que devem ser tornadas públicas todas as informações acerca da produtividade de servidores públicos, de modo que possam ser comparadas pelos cidadãos e que os próprios funcionários públicos possam melhorar sua atuação. É isso que a sociedade brasileira espera do Poder Judiciário. Atitudes que ajudem a inibir a ocultação de informações de interesse público.

Espera-se mais da presidenta da Suprema Corte, a ministra do STF Cármem Lúcia - em quem a sociedade brasileira deposita suas últimas esperanças em resgatar a ética e a moralidade pública neste país. Se a ministra Cármem Lúcia não corresponder às expectativas do povo brasileiro, ai o que veremos e a bandalheira e a cretinice prosperarem e o salve-se quem puder.     
Postar um comentário