terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

O PMDB não dá nenhuma chance ao país



O PMDB é tipo carcará: “Um pássaro malvado que tem bico volteado que nem gavião. Carcará pega, mata e come ”. (Trecho da música Carcará do compositor maranhense João do Vale).  

Há mais de 30 anos que o PMDB vem sangrando este país. Começou com a Nova República inaugurada pelo presidente José Sarney e de lá pra cá, nunca mais esse partido deixou de parasitar os governos de uma nação que virou motivo de escárnio e chacota no cenário internacional, por não ser um país sério e minimamente confiável.

Com o fim do governo do presidente José Sarney, o PMDB passou a gravitar em torno do governo de plantão. Foi assim no governo Fernando Collor de Mello, Itamar Franco, FHC, Lula e Dilma.

Como maior partido brasileiro, o PMDB sempre impôs sua vontade ao governo na forma de chantagem e pressão. Não é à toa que esse partido sempre controla os ministérios que são considerados as ‘joias da coroa’, como saúde, educação e Minas e Energia; os maiores orçamentos de qualquer governo.

O PMDB que no primeiro e segundo mandato da ex-presidenta Dilma Rousseff tinha o vice-presidente da república, chegou a ter sete ministros e mais de três mil cargos no segundo e terceiro escalões. Sob Dilma o PMDB foi governo.

Como governo de fato e de direito ao destronar e assumir o poder, o PMDB segue a mesma ladainha, ou seja, governa para os peemedebistas, grupos de interesses e amigos do rei. Nunca para o país e tratando povo brasileiro com uma indiferença olímpica.     

O governo de Michel Temer é um governo de apadrinhados e voltado exclusivamente para atender os interesses da cúpula peemedebista, dos amigos do presidente e dos aliados. Dos aliados, leia-se: PSDB, PSB, PPS e DEM. É assim que a coisa funciona no Brasil, desde que o PMDB passou a lotear o governo de plantão.   
Postar um comentário