terça-feira, 25 de abril de 2017

Temer não tem legitimidade para propor reformas



Nem a principal e a mais necessária e urgente reforma, a reforma política, o presidente Michel Temer consegue fazer, porque o seu governo caminha numa corda bamba, sem força política e liderança suficiente para conduzi-la.

Um governo marcado por uma corrupção endêmica e que vive se equilibrando para continuar à frente do destino de uma nação mortalmente ferida por uma sucessão de escândalos que fragilizam o partido que ascendeu ao poder sob a suspeita de conspiração contra o governo da ex-presidenta Dilma Rousseff, não tem credibilidade, moral e liderança suficiente para propor reformas.   

As reformas trabalhista e previdenciária que o presidente Michel Temer quer empurrar goela abaixo na sociedade brasileira, não conta com o apoio do trabalhador, o mais prejudicado, caso essas reformas sejam aprovadas, porque eliminam direitos trabalhistas adquiridos, como por exemplo, a jornada trabalhista de 48 horas semanais e a possibilidade do trabalhador não se aposentar, devido a alta rotatividade do emprego e o aumento do tempo de contribuição.   

Essas duas últimas reformas como estão sendo apresentadas, só atendem aos interesses do capital, prejudicando sobremaneira o trabalhador, já tão sacrificado.
Postar um comentário