sexta-feira, 19 de maio de 2017

O sonho de João Henrique durou pouco

Como o momento político brasileiro sugere, o sonho do presidente nacional do Serviço Social da Indústria (SESI), o advogado João Henrique Sousa, de se candidatar ao governo do estado do Piauí em 2018, acabou.  

Ocorre, que o projeto político de João Henrique Sousa, está atrelado ao governo do seu amigo, o presidente Michel Temer e esse governo está prestes a chegar ao fim. Diante dessa constatação é fácil concluir que o sonho do ex-ministro do Transporte do governo de Fernando Henrique Cardoso (FHC), morre junto com o governo Temer.

Com o projeto de João Henrique Sousa sendo abortado, haja vista, o governo Temer ter caído em desgraça e o PSDB também sendo atingido por esse tsunami de escândalos, o vento passa a soprar a favor da reeleição do governador Wellington Dias, que tudo leva a crer, não terá adversários com chances de enfrentá-lo.

O PMDB e o PSDB foram feridos de morte pela Operação Lava Jato, assim como o PT. Sendo que o PT ainda tem alguma chance de sobreviver, graças aos programas sociais dos governos Lula e Dilma que estão muito presentes na memória do povo brasileiro, principalmente do povo nordestino.

Na política não existe pacto de honra

Na política não existe pacto de honra e de fidelidade. Isso quer dizer que quando um político cai em desgraça, aqueles que antes lhes juravam amizade e fidelidade somem como por encanto. As delações premiadas são bem um exemplo de como se dá a relação entre políticos e empresários, que nos momentos de bem-aventurança, trocavam favores, faziam negócios e até firmavam parcerias. Até bem pouco tempo os empresários Marcelo Odebrecht e Joesley Batista eram amigos de Lula e de Aécio, mas com o escândalo do Petrolão e outros, esses ex-amigos tentam salvar suas peles, apelando para a traição.
Postar um comentário