sexta-feira, 5 de maio de 2017

Se o país quer a imoralidade é a imoralidade que teremos



As últimas decisões tomadas pela 2ª Turma do STF, mesmo que secundadas pela Lei, não favorece ao país, porque funciona com um incentivo à pratica da impunidade e da imoralidade.

As manifestações públicas dos generais do Exército, Augusto Heleno e Paulo Chagas contra a liberdade de corruptos presos pela Operação Lava Jato, reflete o sentimento de revolta que tomou conta do país nos últimos dias, após a colocação em liberdade dos petroleiros Genu, Bumlai, Eike Batista e José Dirceu.  

Essa manifestação da caserna, é um grito de alerta enviado aos ministros do STF, Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski, tidos como legalistas.

Vejamos o que disse abaixo o general da reserva Augusto Heleno, sobre a colocação em liberdade do Mensaleiro e Petroleiro José Dirceu, no que foi apoiado pelo General de Brigada Paulo Chagas.

“Será que os doutos Ministros do STF avaliam o mal que têm causado ao país? Ou o Olimpo em que vivem os afasta totalmente da consciência nacional? Façam uma pesquisa para avaliar o que a população honesta pensa, hoje, da instituição em que militam. Vossas Exas votam calcados em saber jurídico? Não parece. Para a imensa maioria, fingem fazê-lo. Em votos prolixos e tardios, dão vazão a imensuráveis vaidades, a desavenças pessoais e a discutíveis convicções ideológicas. Hoje, transmitem à Nação, alarmada pela criminalidade e corrupção que se alastram, uma lamentável insegurança jurídica e uma frustrante certeza da impunidade. Passam a sensação de que o Brasil, com esse Tribunal, não tem nenhuma chance de sair do buraco; e colocam em sério risco nossa combalida e vilipendiada “democracia”. Sabemos que são professores de Deus e lhes pedimos, apenas, que desçam do pedestal e coloquem o Brasil acima de tudo.”

De tanto o povo brasileiro clamar pela manifestação das Forças Armadas, contra o estado de anomia administrativa no país, eis que os primeiros sintomas de descontentamento da caserna começam a aparecer.  

A propósito, sugiro que acessem a página na Internet do General de Brigada Paulo Chagas. Para acessá-lo é só escrever no Google: Gen Paulo Chagas.    
Postar um comentário