domingo, 21 de maio de 2017

Temer vive seu calvário e sangra em público


Esse é o cara..., aponta Eliseu Padilha
Quanto mais tempo o presidente da república Michel Temer, permanecer à frente do governo nacional, mais o calvário e o sangramento desse peemedebista aumenta.

Temer fez dois discursos em cadeia nacional de televisão nos dias últimos 19 e 20, para tentar minimizar os efeitos das delações premiadas dos irmãos Joesley e Wesley, sem conseguir o efeito desejado, porque o país inteiro conhece de cor e salteado, como se diz na gíria, o passado e o presente de Sua Excelência, o presidente da república. Essas duas delações colocaram Temer no olho do furacão.     

Temer ao insistir em permanecer no comando do país, agrava a situação do país e a sua própria, porque o país paralisa suas atividades econômicas e a sua impopularidade aumenta.

O apego de Temer ao poder, faz aumentar o clima de instabilidade administrativa no país, uma vez que o presidente perde cada vez mais apoio político e aumenta o clima de ingovernabilidade, o que produz um clima de pessimismo, de incertezas e um ambiente político e administrativo de degeneração acentuada. 

O presidente Michel Temer, diante da enxurrada de acusações que pesam contra ele e os seus amigos e assessores mais próximos, perdeu as condições morais, éticas, políticas e administrativas para continuar governando o Brasil. 
Postar um comentário