sexta-feira, 16 de junho de 2017

Como evitar o uso político das prefeituras?

O cidadão consciente deve funcionar na sociedade como um fiscal, um investigador e um denunciador. Com o uso de celular o cidadão pode filmar e gravar”. (Tomazia Arouche    
                                                 
As eleições do ano de 2018 se aproximam - e na medida em que o tempo vai passando, a população precisa ficar cada vez mais vigilante com as ações das prefeituras que de maneira sutil e ardilosa, envidam ações que visam favorecer ‘potenciais candidatos’ ao governo do estado e aos parlamentos estadual e federal.   

Ocorre que muitos prefeitos se elegeram em 2016, com ajuda de políticos que disputarão a sucessão estadual ou uma cadeira na Assembleia Legislativa ou na Câmara Federal e no Senado - e é ai que mora o perigo do uso político da prefeitura para eleger os financiadores de campanhas de alguns prefeitos.

A fiscalização das ações do prefeito cabe aos vereadores, mas como a maioria expressiva dos nossos edis come nas mãos do prefeito A ou B, só nos resta apelar para os cidadãos comprometidos com a moralidade pública.

A população precisa ficar de olhos bem abertos e vigilantes para que as prefeituras não sejam usadas como cabos eleitorais. 

Qualquer cidadão ao perceber que a prefeitura está sendo usada para beneficiar esse ou aquele candidato, deve procurar imediatamente o Ministério Público Estadual (MPE) e denunciar a imoralidade.

Convém lembrar que a prefeitura, qualquer prefeitura, não é uma propriedade privada e o prefeito (a) não é o seu dono. 
Postar um comentário