terça-feira, 13 de junho de 2017

O PSDB vive um grande dilema: ser ou não ser governo

O PSDB que tinha tudo para chegar em 2018, como pule de dez na campanha eleitoral, ao fazer uma opção por participar do governo do PMDB, perdeu o discurso de oposição, avacalhou-se e desmoralizou-se. Hoje, o PSDB tem o seu destino atrelado ao do PMDB. 

Hoje, dividido ao meio, com uma banda do PSDB lutando para livrar-se do peso morto que atende pelo nome de governo Temer e a outra banda defendendo sua permanência nos cargos. “Não sei se vou, não sei se fico. Se fico aqui, se fico lá”.

De tão comprometido com o governo do PMDB, por participar efetivamente desse governo, o PSDB não tem mais como se livrar da humilhante condição de força auxiliar de um governo impopular, desmoralizado e desacreditado junto ao povo brasileiro.

E ainda por cima, tendo que defender o indefensável, ou seja, o senador Aécio Neves que foi abatido em pleno voo ao ser flagrado numa gravação feita pelo empresário Joesley Batista, com a autorização da justiça, pedindo dois milhões de reais a esse empresário, segundo ele, para pagar os honorários de um advogado para defendê-lo das acusações da Operação Lava Jato.

Ouso afirmar que o PSDB não tem futuro, pelo menos até a eleição de 2018. Quem viver verá!
Postar um comentário