sexta-feira, 9 de junho de 2017

Ter filhos é uma coisa muito séria



Ter um filho é um desejo e um sonho natural de todo casal. É compreensível esse sonho e esse desejo, porque faz parte da natureza humana, mas, diante de um mundo cruel, onde o estado não oferece nenhuma segurança aos seus cidadãos, ter mais de um filho beira à irresponsabilidade.

Nos países desenvolvidos, ter filhos, há muito tempo deixou de ser a maior aspiração do casal, porque o clima de insegurança no emprego, faz com que as pessoas pensem duas vezes em colocar uma criança num mundo hostil, inseguro e superpopuloso. Colocar mais de uma criança neste mundo, diante desta nossa triste realidade, acaba sendo um ato egoísta, desumano e até inconsequente. Ter vários filhos não é aconselhável. 

A superpopulação exige cada vez mais vagas num mercado de trabalho cada dia mais excludente e reduzido, com a introdução da máquina (robô e computador) na indústria, no comércio e na atividade rural. Isso significa que o ser humano num mundo super povoado, acaba ficando obsoleto.    

O mundo capitalista por motivos que estão mais ligados ao lucro do que a preocupações humanitárias, com o uso da ciência colabora com essa explosão populacional, desenvolvendo, a cada dia, métodos de fertilização artificial e novos medicamentos.       

Hoje em dia, quem sair do mercado de trabalho, dificilmente será reinserido nesse mesmo mercado, uma vez que o trabalhador torna-se ultrapassado ao ficar alguns meses fora de um mercado que prioriza cada vez os jovens e os mais habilitados profissionalmente e com mais competência digital. Isso é explicado pela contratação de trainees, na abertura de mais vagas para trainees nas organizações e corporações. Um investimento visa fundamentalmente a melhoria da produtividade.

O perfil exigido dos trainees costuma ser o de um jovem entre 22 e 30 anos, com domínio de pelo menos uma língua estrangeira, bons cursos de capacitação no currículo e, de preferência, graduação em uma universidade de peso. Exigências essas que eliminam a possibilidade de qualquer pessoa com mais de 30 anos, que não em um segundo idioma e não cursou uma universidade top, de ser readmitido pelo mercado de trabalho.

Quanto mais filho um casal tem, mais chance esse casal tem de permanecer na miséria e na pobreza absoluta. É óbvio que estou me referindo neste texto aos pobres e a classe média baixa.
Postar um comentário