quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

A nossa humilhante condição de país em desenvolvimento

“Doenças negligenciadas estão nos países pobres e em desenvolvimento”. Esse é o caso do Brasil.

“Espalhadas por todo o planeta, mais de um bilhão de pessoas vivem com menos de US$ 2 por dia: seja no Brasil ou outros países da América Latina e do Caribe, na África, na Ásia e, também, nos Estados Unidos e em alguns países da Europa. Estão principalmente no campo, em áreas urbanas de pobreza extrema e em regiões de conflito. Sofrem de todo tipo de carência – de água potável, de escolaridade, de saneamento básico, de moradia e de acesso a tratamentos de saúde – e são as principais vítimas de doenças negligenciadas”. Esses dados são da Sociedade Brasileira Para o desenvolvimento da ciência (SBPC).

Negligenciadas são todas as políticas que deveriam ser implementadas em todo o país, para ampliar a cobertura nacional de serviços como saneamento básico.  A universalização desse serviço poderia evitar doenças tropicais, como tuberculose, malária, diarreia, leishmaniose e aëdes aegypt.

Em momentos como este em que o país está sendo atacado por uma epidemia de dengue e Zika vírus, os países desenvolvidos tiram partido dessa situação ao venderem, desde vacina até materiais para laboratórios que pesquisam os vírus transmissores dessas doenças previsíveis.

O Brasil, num momento com este, revela ao mundo a sua verdadeira face de país onde as doenças e a miséria se reproduzem.

Por Joachim Arouche
Postar um comentário