segunda-feira, 25 de setembro de 2017

LAIRTON e seus teclados - Tentei te esquecer


A poesia segundo Ferreira Gullar



Extravio

Onde começo, onde acabo,
se o que está fora está dentro
como num círculo cuja
periferia é o centro?

Estou disperso nas coisas,
nas pessoas, nas gavetas:
de repente encontro ali
partes de mim: risos, vértebras.

Estou desfeito nas nuvens:
vejo do alto a cidade
e em cada esquina um menino,
que sou eu mesmo, a chamar-me.

Extraviei-me no tempo.
Onde estarão meus pedaços?
Muito se foi com os amigos
que já não ouvem nem falam.

Estou disperso nos vivos,
em seu corpo, em cada olfato,
onde durmo feito aroma
ou voz que também não fala.

Ah, ser somente o presente:
esta manhã, esta sala. 

Ferreira Gullar foi um poeta, crítico de arte, escritor, ensaísta, biógrafo e memorialista maranhense.


Uma guerra nada particular



O estado do Rio de Janeiro está em guerra. Uma guerra que está sendo travada entre o Exército do governo oficial e o exército do governo paralelo. Uma guerra que fatalmente será vencida pelo exército do Crime Organizado, que combate num campo de batalha que ele conhece muito bem e ainda conta com o apoio de uma população desassistida pelo estado brasileiro e que muitas das vezes é socorrida pelo exército do crime.

Essa guerra que está sendo travada no Estado do Rio de Janeiro, não é uma guerra particular, porque ela está acontecendo em todos os estados brasileiros, sem exceção, sendo que o estado do Rio de Janeiro é sempre socorrido pelas Forças Armadas. Como se só esse estado merecesse uma atenção especial do governo brasileiro, embora os demais estados brasileiros também estejam sendo dominado pelo exército da contravenção.  


O estado do Rio de Janeiro e o resto do país só se livrarão dessa guerra, quando a miséria e a fome desaparecerem do nosso mapa. Mas, pelo visto, isso nunca acontecerá, porque a corrupção não deixará. Não há nenhum exagero em afirmar que os corruptos e os corruptores dominam este país.

Os brasileiros que vivem abaixo da linha de pobreza, para sobreviver não tem nenhum pudor em se alistar no exército da contravenção ou trabalhar na indústria do crime organizado. E ainda tem gente neste país que tem o desplante de defender um governo corrompido e comando por corruptos. Isso que diz não sou eu é a Policia Federal, o Ministério Público Federal e a justiça.    

Nem se despediu de mim - Luiz Gonzaga

Uma voz que é puro sentimento. A voz mais linda e melodiosa deste país. Luiz Gonzaga (Gonzagão) é único.

O sexo continua sendo risco de vida



Com o advento da AIDS e outras doenças sexualmente transmissíveis, o sexo passou a ser risco de vida, pois, ocorre que numa relação sexual, sem que sejam observados os devidos cuidados de proteção, a chance de um dos parceiros ser contaminado é muito grande.

A revolução sexual ou liberação sexual foi uma perspectiva social que desafiou os códigos tradicionais de comportamentos relacionados à sexualidade humana e aos relacionamentos interpessoais. 

A primeira revolução sexual deu-se na segunda metade do século XX, mais precisamente na década de 60, com o aparecimento da pílula anticoncepcional, que evita a gravidez indesejada. Isso favoreceu a liberação sexual de homens e mulheres. Essa nova perspectiva, para usar uma gíria ainda em voga, liberou geral, com tudo sendo permitido na prática ou ato sexual. Ai surgiu no caminho da revolução sexual, uma pedra, o aparecimento da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS), que fez a relação sexual retroagir, de modo a criar na população mundial, um medo e um pavor generalizado da prática da relação sexual, que por qualquer descuido, poderia levar o homem ou a mulher a serem contaminados e a terem uma morte prematura, uma vez que essa doença nos primórdios era uma sentença de morte.   

Com o avanço dos medicamentos antirretrovirais surgidos na década de 80, que representa não a cura da AIDS, mas, eles dão mais resistência ao organismo, o que aumenta a perspectiva de vida da pessoa infectada pelo vírus da AIDS e a consequente redução do número de mortes em consequência da contaminação, houve um tipo de relaxamento ou a diminuição da preocupação com a contaminação. As últimas pesquisas apontam um significativo aumento de pessoas infectadas por esse vírus, como se a humanidade tivesse baixado a guarda, uma expressão que significa deixar de defender-se e proteger-se.

Essa doença que logo que surgiu, era atribuída aos homossexuais, hoje generalizou-se e ninguém está a salvo dessa terrível doença que já foi considerada o mal do século.