sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

Autonomia - CARTOLA



Siga os blogs Diário do Homem Americano e Dom Severino no Twitter e no Facebook.

O jardim de Severino Neto II

Na realidade eu não crie e cuidei desse grande e belo jardim em São Raimundo Nonato-PI: eu apropriei-me dele. Eu simplesmente o admiro e registro o seu dia a dia através de fotos.

AS ROSAS NÃO FALAM
(Cartola)

Bate outra vez
Com esperanças o meu coração
Pois já vai terminando o verão
Enfim

Volto ao jardim
Com a certeza de que devo chorar
Pois bem sei que não queres voltar
Para mim

Queixo-me às rosas, mas que bobagem
As rosas não falam
Simplesmente as rosas exalam
O perfume que roubam de ti

Devias vir
Para ver os meus olhos tristonhos
E, quem sabe, sonhavas meus sonhos
Por fim


A planta Favela que segundo o escritor Euclides da Cunha, originou o nome dos bairros periféricos da cidade do Rio de Janeiro

A flor do pé de Feijão




A planta Favela que segundo o escritor Euclides da Cunha, originou o nome dos bairros periféricos da cidade do Rio de Janeiro 
 



Siga os blogs Diário do Homem Americano e Dom Severino no Twitter e no Facebook.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

Leitura dinâmica

O ministro do STF Celso de Mello concluiu voto nesta quarta (20) e afirmou que considera "a configuração de atos homofóbicos e de atos transfóbicos como formas contemporâneas de racismo". Esse posicionamento do ministro decano da Suprema Corte, sugere que a maioria dos seus pares seguirão o seu voto. Como a criminalização da homofobia este país avança na garantia de direitos individuais e se nivela aos países mais civilizados da Europa. Ponto para o ministro Celso de Mello.  

Bolsonaro tenta se garantir com o apoio de soldados de pijama. Até quando?

A caserna é muito diferente do Clube Militar. Na caserna estão os soldados que não se envolvem diretamente com política. Já, nos clubes militares se reúnem soldados sem farda e que quando muito aponta e sugere caminho a ser percorrido pelos governantes de plantão. Bolsonaro para contar com o apoio dos militares fardados vai ter que copiar Maduro, o presidente da República Bolivariana da Venezuela que governa com e para os militares fardados. Mas, lá na Venezuela não existe democracia na verdadeira essência da palavra.

Os pobres mais uma vez sairão perdendo

Eles sorriem da nossa cara, da cara da plebe ignara
A Nova Previdência que foi apresentada ao país no dia de ontem, segundo o economista da UFRJ, Denise Gentil que disse o seguinte: “Você pode até reduzir o gasto com Previdência, mas não é só para isso que se deve olhar; vai haver aumento da pobreza, e pobreza não é um bom negócio”. Essa afirmação da economista Denise Gentil faz todo sentido, porque além do aumento do empobrecimento do país, a perda de ganhos pela população brasileira mais vulnerável, impactará fortemente a economia, sobretudo nas regiões Norte e Nordeste, onde a pobreza é mais acentuada. Mas, como essa reforma previdenciária que foi enviada no dia de ontem para o Congresso nacional, foi feita sob encomenda do Deus Mercado, o povo pobre que se lasque. Dias piores virão. Aguardemos!


Siga os blogs Diário do Homem Americano e Dom Severino no Twitter e no Facebook.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

Putin faz ameaça aos EUA e União Europeia


O presidente da Rússia, Vladimir Putin, deixou esta quarta-feira um sério aviso aos Estados Unidos da América para o risco de qualquer ação considerada agressiva, ao garantir que o país "estará pronto para responder a qualquer ameaça". 

As palavras do líder russo tiveram lugar no discurso anual do Estado da Nação perante os membros da Assembleia Federal, em Moscou, naquela que foi a primeira vez que se dirigiu às duas câmaras do parlamento desde que foi eleito em março de 2018 para mais um mandato de seis anos.

"A Rússia será obrigada a criar e utilizar os tipos de armas que podem ser usadas não apenas contra os territórios dos quais a ameaça direta pode sair, mas também em relação aos territórios onde estão os centros de tomada de decisão para o uso de sistemas de mísseis que nos ameaçam", declarou Putin, aludindo a Washington e às bases americanas internacionais.

Apesar das palavras duras - entre as quais se destacaram as críticas à saída americana do acordo de armas nucleares -, o presidente russo disse que o país "não é uma ameaça direta aos EUA e que deseja ter relações amigáveis", acrescentando que todas as medidas tomadas "são de caráter defensivo" e que não existe "desejo de entrar em confronto".

No mesmo sentido, Putin relembrou a importância de a Rússia prosseguir o seu desenvolvimento social, econômico, militar e tecnológico.

Paralelamente, o presidente russo deixou também um recado para a União Européia. Num momento em que a economia do país se debate ainda com pesadas sanções internacionais, que perduram desde a anexação da Crimeia, Putin manifestou a expectativa da normalização da situação a curto prazo.

"Esperamos que sejam dados passos reais para a reconstrução da normal relação política e econômica do lado da União Europeia e dos principais países europeus. Os cidadãos desses países estão interessados na cooperação com a Rússia, incluindo, é claro, as grandes e as pequenas e médias empresas", explicou.

Ao abrir a sua intervenção, Vladimir Putin reiterou o objetivo político de melhorar as condições de vida das famílias russas, com diversas medidas de apoio fiscal e social para a promoção da natalidade, num esforço de contrariar a queda a nível demográfico na Rússia.

Siga os blogs Diário do Homem Americano e Dom Severino no Twitter e no Facebook.