quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Leitura dinâmica



A base aliada do governo petista de Wellington Dias, não quer a candidatura à reeleição da senadora Regina Souza (PT-PI), para que ela não atrapalhe a coligação que está sendo montada com o Partido Progressista (PP) do senador Ciro Nogueira (PP-PI), que pretende se reeleger com o apoio do governador e quiçá do Partido dos Trabalhadores (PT). Um apoio improvável, porque o diretório estadual que está em sintonia com a Executiva Nacional, não quer ver diminuída a bancada petista no Senado. O governador Wellington Dias, pode até vir a apoiar a candidatura de Ciro Nogueira, mas o PT piauiense, não.  

Muita gente duvida

Essa grande base aliada que atualmente empresta apoio ao governo de Wellington Dias, para alguns jornalistas e analistas políticos piauienses, não sobreviverá ao segundo semestre do ano eleitoral de 2018, a julgar pelo conflito de interesses que envolvem uma base aliada que a nível nacional é uma ferrenha opositora do PT, tendo inclusive conspirado e tramado contra o governo da presidenta Dilma Rousseff.

O PSDB caminha para sua desintegração


O fim melancólico do PSDB começou no exato momento em esse partido optou por abdicar da sua condição legitima de oposição e aceitar o convite do PMDB para participar da conspiração que estava sendo posta em execução, para apear Dilma Rousseff da presidência da república. O que acabou acontecendo e os tucanos sem medir as consequências do seu atrelamento ao governo Temer, aceitaram dele participar com a indicação de quase uma dezena de ministros, mais de uma centena de cargos no segundo e terceiro escalões e milhares de empregos em ministérios e empresas estatais.

Lula em pré-campanha antecipada

O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, que tudo leva a crer, não se livrará da prisão e que mesmo não sendo preso em regime fechado se tornará inelegível em 2018, anda fazendo um verdadeiro périplo pela região Nordeste, como se já estivesse em campanha ou pré-campanha. Essa decisão de Lula de sair pelo país fazendo comícios, está sendo vista como uma afronta ao Poder Judiciário representado pelo juiz federal Sérgio Moro, que já lhe condenou a nove anos e seis meses de prisão que deverá ser confirmada na segunda instância. A propósito, o processo em que o juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara federal de Curitiba, condenou o ex-presidente Lula a nove anos e seis meses de prisão, por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex no Guatujá, foi entregue nesta quarta-feira (23) ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre. Agora, três desembargadores julgarão o petista em segunda instância. 

TWO feat Kaya - Angel (feat DJ Marquinhos Roots) [Reggae MA]


Galantis (feat DJ Wysh) No Money [Reggae MARANHÃO]


Márcio Araújo é perseguido pelos infames



O infame jornalista Xico Sá, um retirante nordestino que foi acolhido pela grande e imprensa do “Sul maravilha” é o mais novo detrator do jogador maranhense Márcio Araújo, um profissional responsável, porque cumpridor dos seus deveres como jogador profissional e como cidadão, que por onde passou sempre foi prestigiado pelos seus treinadores e respeitado pelos seus companheiros de clube.

Ai vem um infame ressentido que não tem coragem de lançar sua peçonha sobre os jogadores de cor branca e se volta contra um profissional humilde, negro e nordestino.

No programa de ontem da SportTV, apresentado pelo jornalista André Rizek Lopes, o infame Xico Sá ao comentar com os seus pares a ida ou não do ex-treinador do Flamengo Zé Ricardo para o Vasco da Gama, aproveitou a oportunidade para de maneira desleal, perversa e imoral atingir com o seu comentário depreciativo, um profissional sério e um jogador de futebol de excelente qualidade que é respeitado pelos seus companheiros de profissão e pelos treinadores que o dirigiram.

O jogador maranhense Márcio Araújo atuou pelo Clube Atlético Mineiro em 224 jogos de 2003 a 2009, pela Sociedade Esportiva Palmeiras em 252 jogos de 2009 a 2013 e com a camisa do Clube de Regatas Flamengo em 203 jogos do ano de 2014 até o presente momento. Um profissional com esse currículo não deveria merecer o respeito da imprensa? É óbvio que sim.          

Cá pra nós: um profissional com esse currículo e digno da admiração dos festejados treinadores brasileiros Muricy Ramalho, Wanderley Luxemburgo, Jaime de Almeida, Tite, Levy Culpi, Marcelo Oliveira, Luiz Felipe Scolari não pode ser agredido, desrespeitado por qualquer ressentido, por pessoas que se vivessem mais 100 anos não ganhariam o que Márcio Araújo já ganhou como jogador de futebol profissional.

"Quem ainda discute a presença dele, precisa repensar no que acha que entende de futebol", disse o jornalista Carlos Eduardo Lino, sobre o jogador Márcio Araújo). Ainda bem que na imprensa brasileira existem profissionais como Eboli. Convém dizer que o treinador Luiz Felipe Scolari está entre os admiradores do futebol e da humildade do maranhense Márcio Araújo.  

O infame Xico Sá, não gosta do futebol de Márcio Araújo e trata esse profissional digno com desdém e sarcasmo. O infame Xico Sá, ainda se diz socialista e humanista. Xico Sá é a cara do Brasil.

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Leitura dinâmica

O mundo inteiro está vivendo sob um clima de medo e terror permanente. Na Europa e nos Estados Unidos da América (EUA), o medo que assusta as suas populações é provocado pelo terrorismo que vem dos países, que por dezenas e até centenas de anos foram dominados pelos países ricos do continente europeu e da América do Norte. Mais precisamente, dos EUA. Numa reação do terror contra os antigos colonizadores dos países do Oriente Médio, da África, da América Central e da América do Sul. E para piorar ainda mais uma situação já bastante grave, as guerras que estão sendo travadas Síria, no Iraque e em alguns países africanos estão provocando êxodos em massa em direção aos países da Europa.

O país da pelota

No Brasil só se respira e vive futebol, sobretudo agora com o advento da TV por assinatura que não só trata do futebol brasileiro, como também do futebol europeu, chinês e até norte-americano. Não há nenhum exagero na afirmação de que nós os brasileiros estamos sendo intoxicados e alienados por uma verdadeira enxurrada de transmissões esportivas. No tempo da ditadura militar, segundo a imprensa, os governos militares usavam o futebol para desviar a atenção do povo brasileiro dos massacres que aconteciam nos porões da ditadura. Hoje, o esporte de um modo geral é usado pelas emissoras de televisão, na sua maioria formada por capital estrangeiro, como uma nova forma de colonialismo. Assim como também, o domínio de novas tecnologias e aplicativos criados nos EUA e na Europa. Os smartphones e o Uber, por exemplo.

Rodrigo Maia: O protetor de Temer


Há 25 pedidos de impeachment do presidente da república pendentes na Câmara Federal para análises, sendo 22 referentes à conversa entre o presidente e o empresário da JBS Joesley Batista. Cabe ao presidente da Câmara dar prosseguimento ou não. O que o presidente da Câmara Federal, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), vem tratando com uma indiferença olímpica, como que para proteger o seu benfeitor. Maia vem usando como justificativa para não analisar esses pedidos de impeachment, o perigo que representa um novo impeachment, que poderá provocar a desestabilização política do país. Uma justificativa indecente, convenhamos.

Zeca Baleiro - Banguela (participação de Ná Ozzetti)


João Dória Junior abandona prefeitura


O picolé de chuchu sorri do que?

João Dória Junior abandona prefeitura para capilarizar o seu nome em todo o país. 

Eu sei o que se passa pela cabeça do prefeito da cidade de São Paulo, que ainda não completou oito meses de governo ou desgoverno e já se dedica a percorrer o país como se já estivesse em campanha para presidente da república e abandona a capital paulista. Será que ele acredita que o povo brasileiro é tão imbecil que é capaz de acreditar nas  suas presepadas, nas suas bazófias, nos seus factoides e nos discursos antipolíticos? Ledo engano desse senhor se pensa assim. Ocorre que o Brasil está vacinado contra políticos oportunistas e aventureiros. 

Uma pergunta que não quer calar: o que credencia o político João Dória Junior a querer candidatar-se à presidência da república? O que faz com que esse senhor se sinta encorajado a disputar a sucessão federal, se ele ainda nem passou no teste como prefeito da maior cidade brasileira? É muita pretensão de um sujeito que vê o povo brasileiro como um povo infantiloide, como um povo descerebrado, sem memória e bruto. 

Embora admita que todos os políticos brasileiros são iguais nas suas naturezas, conteúdos e propósitos, não dá para engolir um sujeito falastrão, espertalhão e pretensioso como João Dória Junior, um Fernando Collor de Mello do século XXI.

Será que João Dória Junior toma o povo brasileiro pelo povo paulistano? Se ele considera o resto do país um reflexo do povo paulistano, ele está redondamente errado.

O país do cinismo militante


"Le Brésil n’est pas un pays serieux” – “O Brasil não é um país sério”. Uma frase popularmente atribuída a Charles de Gaulle.

Essa frase supostamente atribuída ao general francês Charles de Gaulle, não importa o seu autor, caracteriza muito bem este país, porque aqui tudo é efeito na base do improviso e sem nenhuma preocupação e consideração com valores morais e éticos, porque o que vale mesmo para nós, eu incluído - é o levar vantagem em tudo. Com propõe a famosa Lei do Gerson.

Não é à toa que a corrupção, a esculhambação e a falta de pudor neste país de parte das nossas autoridades é de fazer corar um frade de pedra e um estrangeiro desavisado. O escândalo de Mensalão que destruiu a reputação do Partido dos Trabalhadores (PT) e que poderia ter tido um efeito pedagógico foi desmoralizado pelo escândalo do Petrolão que por sua vez destruiu a reputação do PMDB, PP, PSDB, DEM, PSB e outros partidos menos importante na cena política nacional. E tudo continua como antes do quartel de Abrantes. Aqui, quando mudamos alguma coisa é para permanecer como antes.

E assim, de escândalo em escândalo a nossa pátria mãe gentil e berço esplendido vai sendo avacalhada e desmoralizada ante os países desenvolvidos e do primeiro mundo. Também pudera, o que os estrangeiros podem esperar de uma nação que comete mais assassinatos, de turistas inclusive, do que países que estão em guerra permanente? O que o estrangeiro pode esperar de um país que em pleno século XXI, ainda convive com doenças que foram erradicadas no primeiro mundo no século XIX? O que podemos esperar de um país que o serviço de saneamento básico não chega a atingir um terço do território nacional? Nenhum elogio e tão pouco demonstração de confiança e respeito.

Este país não tem futuro, porque as suas classes política e dirigente tem os pés e suas cabeças mergulhados no atraso secular. Porque as nossas classes dirigente e política, agem como os senhores de engenhos e os donos de escravos que acreditavam e acreditam que o pobre brasileiro deve permanecer pobre e ignorante, para que elas possam continuar reinando. É assim que a abanda toca neste país inzoneiro. Eu não me ufano de ser brasileiro.  

“No Brasil almirante e brigadeiro negro, só nos desfiles de escola de samba”. (Tomazia Arouche)