quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

O PDT está se desmanchando

Carlos Lupi: o invertebrado

O Partido Democrático Trabalhista (PDT), criado pelo ex-governador do estado do Rio de Janeiro, Leonel de Moura Brizola, ao perder a sigla PTB para Ivete Vargas sobrinha do ex-ditador Getúlio Vargas, nunca conseguiu se firmar na cena política brasileiro como um grande partido. Um partido de expressão nacional. Quando um muito, um partido de esquerda, do mesmo porte do PCB e do PCdoB. Partidos que estão mais para partidos nanicos do que partidos de porte médio.

Com o anuncio das saídas dos senadores Cristovam Buarque (DF) e Reguffe (DF) do PDT, esse partido fica muito enfraquecido, porque diminuiu consideravelmente sua representação no Congresso nacional, o que poderá acelerar o desaparecimento dessa sigla do mapa político nacional.

Sob a liderança de Carlos Lupi, um político sem mandato e mal visto pela maioria dos parlamentares que fazem parte desse partido, a tendência é que o PDT deixe de ter representação no Senado.

Em muitos estados e municípios o PDT praticamente não existe.
Postar um comentário