sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Só um Pacto Social nos salvará



Na política, diferentemente da religião, não existe salvação individual. Ou nos salvamos todos ou todos seremos condenados ao fogo do inferno.

Não é de hoje que eu venho pregando no deserto, ou seja, propondo ao país a criação de um Pacto Social, no molde do Pacto de Mocloa. Um Pacto Social que reúna em volta de uma mesa, representantes dos principais partidos, do Poder Executivo, do Poder Judiciário, Centrais Sindicais, OAB, ABI, CNI, CNBB, as Federações das Indústrias e as Forças Armadas.

O que foi o Pacto de Moncloa? Foi resultado de uma reunião que ocorreu no mês de outubro de 1977 neste palácio, definindo um acordo amplo de reforma da economia espanhola como um todo. Esse Pacto conseguiu colocar numa mesma mesa todos os presidentes de partidos políticos, chegando a um consenso histórico sobre todos os assuntos que afetavam o país e sobre todas as reformas necessárias (sendo as principais reformas fiscal, previdenciária, jurídica e política) de maneira que prevalecesse o conteúdo que fosse de maior interesse e importância para o país e para seus cidadãos. Nada de ficar puxando a sardinha para o seu lado, fazendo oposição a projetos simplesmente por estes serem de autoria de um partido contrário.

É de um pacto desse ‘molde’ que o Brasil precisa para voltar aos trilhos da normalidade política e institucional. Agora não venham me dizer neste momento o Brasil vive num ambiente de harmonia plena, porque não está! É urgente pacificar o país para que nos salvemos todos.  
Postar um comentário