sexta-feira, 24 de março de 2017

Um grupo excessivamente generoso



Usina Nuclear Angra I – Praia de Itaorna – Angra dos reis

O grupo Odebrecht citado aqui neste texto, é apenas um dos membros do clube das empreiteiras que por décadas e décadas dominaram os processos de licitações.  

O povo brasileiro é tão ingênuo que antes da Operação Lava Jato entrar em cena, ninguém nunca desconfiou da excessiva generosidade do Grupo Odebrecht, um grupo que desde os governos militares que toca as maiores obras neste país.

A construtora Odebrecht, desde a década de 70 que participa da construção das usinas nucleares.

Angra II foi a primeira usina construída a partir do Acordo Nuclear Brasil-Alemanha, firmado em 1975. As obras civis da usina foram contratadas à Construtora Norberto Odebrecht e iniciadas em 1976 com o estaqueamento. O início da construção propriamente dita se deu em setembro de 1981, com a concretagem da laje do prédio do reator.

Nenhum empresário rasga dinheiro e poucos praticam filantropia. Quando um empresário bota dinheiro nessa ou naquela campanha, é porque vai ter retorno, caso o seu candidato seja eleito. É como investir em ações, um investimento arriscado, mas de grande rentabilidade. O empresário não doa, ele investe em candidatos.

A relação promíscua entre autoridades governamentais (políticos) e grupos empresariais, cria o ambiente favorável para que a corrupção se instale no governo e que políticos corrompam e sejam corrompidos. E tudo começa com a doação de campanha, seja ela de que jeito for: caixa I, caixa II ou o diabo que o parta.
Postar um comentário