terça-feira, 4 de julho de 2017

Será que eles venceram mais uma vez?



Por isso cuidado meu bem, há perigo na esquina. Eles venceram e o sinal está fechado pra nós, que somos jovens”. (Belchior)

As últimas decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) que favoreceram políticos envolvidos em escândalos de corrupção, caiu como uma ducha de água fria no ânimo do povo brasileiro, que alimentava a esperança de ver-se livre de políticos inescrupulosos, malfeitores e indecentes.

O suplente de deputado federal Rodrigo Rocha Loures que foi pego conduzindo uma mala com 500 mil reais, como pagamento de propina, num acerto firmado entre o empresário Joesley Batista e o presidente da república Michel Temer, segundo o Procurador-Geral da República (PGR) Rodrigo Janot, acaba de ser solto pelo ministro do STF, Edson Fachin, uma decisão que chocou o país, por incompreensível ao entendimento de um leigo e até mesmo de pessoas de reconhecido saber jurídico. 

Antes, o também ministro do STF Marco Aurélio Mello, já tinha decido pelo fim das restrições do mandato do senador Aécio Neves (PSDB-MG), que foi pego numa gravação feita pela Polícia Federal, com autorização da justiça, pedindo uma ajuda de dois milhões de reais ao empresário Joesley Batista, o que segundo Rodrigo Janot, caracterizou um ato de corrupção.

O denunciado presidente Temer, em que pese todas as evidencias de seu envolvimento com corrupção, ainda tem o desplante de usar os membros da sua tropa de choque para falarem abertamente, despudoradamente sobre o uso da máquina do governo para aliciar e comprar os votos necessários para que a Câmara Federal não autorize a abertura de um processo contra o presidente da república no STF.

Com o país mergulhado no mar de lama da corrupção e o desemprego crescendo assustadoramente, o povo brasileiro é tomado por um profundo sentimento de desânimo, acabrunhamento e de que foi derrotado pelas suas classes política e dirigente.
Postar um comentário