terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Os viciados em poder são capazes dos crimes mais hediondos



O partido que trabalha com um projeto de poder de pelo menos 20 anos tem vocação para partido único. E para que esse partido permaneça indefinidamente no poder, como aconteceu na Venezuela bolivariana e pretendia o kichernismo na Argentina, o partido no poder aparelha o estado, pratica o populismo e cultua a personalidade.

O Brasil, sob o Partido dos Trabalhadores (PT), guarda alguma semelhança com a Venezuela de Nicolás Maduro e a Argentina de Cristina kirchner. Não é à toa que tanto a Venezuela, como a Argentina e o Brasil atravessam momentos conturbados nos campos da economia, da política, da ética e da moral. Não necessariamente nesta ordem.

Nas campanhas eleitorais, o partido que está no poder e busca um novo mandato não tem nenhum pudor em comprometer as finanças do país, como por exemplo ao manter preços artificiais, como aconteceu recentemente no Brasil com os preços dos derivados do petróleo e energia.

Raimundo José dos Martírios Seabra
Postar um comentário