sábado, 13 de fevereiro de 2016

Um povo bruto é o que nós somos


Um povo bruto é o que nós somos, mas, a culpa não é do povo é do sistema


“A globalização econômica não favoreceu uma globalização social, porque o capital procura ambientes em que exista mão de obra mais barata para se desenvolver, e não ‘considera as condições de vida das pessoas e dos trabalhadores’”.  (Carlos Henrique Nery Costa é médico infectologista e professor da Universidade Federal do Piauí (UFPI).

Deus não é brasileiro e nós somos um povo bruto por natureza.

Os países subdesenvolvidos e superpopulosos estão mais propensos a desenvolverem doenças tropicais, devido às más condições de saneamento básico. Mas existe outro componente que é fundamental: o baixo nível de escolaridade de uma parte considerável das populações dos países do terceiro mundo, como o Brasil e Índia.

As favelas e mocambos das grandes cidades dos países subdesenvolvidos são ambientes favoráveis para mosquitos. Os mocambos e palafitas que são construídos sobre terrenos baldios e não preparados para a edificação de casas.

A ignorância nos países periféricos, não acontece por acaso, mas em função de uma política atrasada, que investe na brutalidade do homem para que ele continue ignorante e que seja usado pela classe dominante.

No Brasil, a nossa ignorância é tanta que há décadas os governos fazem campanha para evitar a proliferação de mosquitos transmissores do mosquito Aedes aegyti e a população brasileira ainda não adquiriu a consciência de que o governo não pode tudo e que muitas doenças poderiam ser evitadas se povo e governo trabalhassem juntos para combater sistematicamente os mosquitos transmissores de doenças.  
Postar um comentário