sexta-feira, 1 de abril de 2016

Michel Temer não é um estadista



“Meu Deus! Essa é a nossa alternativa de poder? Não vou fulanizar, mas quem viu a foto sabe do que estou falando"”, pergunta o ministro do STF, Luiz Roberto Barroso ao se referir ao PMDB que conspira para apear a presidenta Dilma Rousseff do poder.

O Brasil que neste momento atravessa uma situação extremamente difícil, necessita de uma liderança com o perfil de um estadista, alguém com capacidade para unir e pacificar o país. E o vice-presidente da república Michel Temer não tem esse perfil e ainda por cima, preside um partido que lidera o ranking dos partidos com mais corruptos e com maior número de políticos sendo processados pela Suprema Corte. 

Não dá para querer tapar o céu com a peneira e negar que o governo da presidenta Dilma Rousseff vai de mal a pior, mas, não dá para engolir um novo governo comandado pelo vice-presidente da república Michel Temer, um político useiro e vezeiro na arte de trocar apoio por cargos. Não é à toa que o PMDB no segundo governo do PT, além da vice-presidência, ocupa seis ministérios e controla 600 cargos no segundo e terceiro escalões.

Trocar Dilma por Temer é o mesmo que trocar seis por meia dúzia. É que PMDB e PT são irmãos siameses e administram a empresa Brasil S.A. 


Temer e o PMDB não!
Postar um comentário