terça-feira, 4 de outubro de 2016

Crise nas prefeituras deve agravar-se no final do ano



O cenário econômico mundial não é nada auspicioso. E como a economia brasileira é dependente da economia mundial, tudo leva a crer que a grave crise financeira que se abateu sobre as prefeituras nos últimos anos, tende a se agravar.

A crise financeira das prefeituras piauienses, que já provocou atrasos de salários e interrupção de serviços básicos em várias cidades do Estado, poderá se agravar ainda mais no segundo semestre de 2016. Dados do Tesouro Nacional reunidos pelo Observatório de Informações Municipais apontam que os repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) devem cair cerca de 25% de junho até dezembro. 

As eleições municipais realizadas nos primeiros dias do mês de outubro deste ano, serviram para maquiar, falsear e ocultar uma realidade que levou muito prefeitos a desistirem de disputar suas reeleições. Ocorre que as campanhas eleitorais acabam injetando recursos na economia local, no tempo que dura a campanha eleitoral e isso acaba criando falsas expectativas.  
 
Os economistas aconselham os futuros gestores a começarem suas gestões, aplicando um choque de austeridade nas contas públicas, o que implica em reduzir gastos com pessoal e obras. 
Postar um comentário