sábado, 19 de novembro de 2016

João Henrique vê coerência em alguns petistas



Em 2018, meu bem, está combinado, nós vamos brincar separados

O presidente do Conselho Nacional do serviço Social da Indústria (SESI) e ex-ministro dos Transportes do segundo governo de Fernando Henrique Cardoso (FHC), disse haver coerência de ‘parte do Partido dos Trabalhadores (PT)’ no estado do Piauí - que se posiciona contra a participação do PMDB no governo de Wellington Dias. 

A manifestação desse ex-parlamentar federal piauiense é direcionada a dois públicos e tem dois objetivos: os públicos são o PT e o PMDB e os objetivos, são: o primeiro, fortalecer o posicionamento dos petistas que se posicionam contra o PMDB fazer parte da base de sustentação do governo do PT; o segundo, visa desestimular os peemedebistas que vivem correndo atrás de uma sinecura, de trabalhar em prol da aproximação e participação de peemedebistas num governo de oposição. Isso não faz sentido para um político que trabalha diuturnamente para viabilizar uma candidatura do PMDB ao governo do estado do Piauí em 2018.

A posição defendida por esse político de dimensão nacional, um dos poucos políticos piauienses com prestígio nacional, sobretudo no governo de Michel Temer, está em sintonia com o PMDB nacional, que tem no PT o seu principal adversário. A propósito: Temer é amigo particular de João Henrique.

A insistência do governador Wellington Dias em ter o PMDB no seu governo, é deveras compreensível, haja vista, o governador piauiense não ter nenhum canal de diálogo com o governo Temer, mas essa insistência do governador acaba criando constrangimentos de ambos os lados. É que o PMDB quer distância do PT e o PT estadual anda forçando uma barra.  
  
O PT, quem diria, acabou se submetendo à uma situação vexatória como essa!
Postar um comentário