sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

É preciso entender o espírito do tempo



A classe política de tão em dissintonia com a sociedade brasileira, não consegue entender o espírito do tempo ou sinal dos tempos, porque se estivesse em plena sintonia com o povo brasileiro, não cometeria tantos deslizes, erros crassos e atitudes impudentes, como tem cometido Congresso Nacional.  

A Câmara Federal ao desfigurar o pacote de medidas anticorrupção, na madrugada do dia 29/11, num momento em que o país havia de sofrer   um trauma terrível com o desastre que ceifou a vida de 71 pessoas na queda do avião da LaMmia - na província de Antioquia na República da Colômbia, praticou um ato de sabotagem contra a Operação Lava-Jato e o Brasil.

O Senado que quase foi induzido ao erro pelo seu presidente ao votar um requerimento de urgência, para a votação do Projeto de Lei 4850/16 que prevê um pacote de medidas contra à corrupção, foi salvo de um constrangimento de dimensão nacional ao votar contra a aprovação de um requerimento que permitiria colocar em votação a toque de caixa, um projeto de interesse do senador Renan Calheiros, que quer se vingar da Operação Lava-Jato, leia-se, do Poder Judiciário, o MPF e a Polícia Federal.    

A tempestade perfeita contra Renan Calheiros

O destino do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), tudo indica, será muito parecido com o do seu companheiro de partido, o ex-todo poderoso, Eduardo da Cunha, que hoje está hospedado na prisão da Policia Federal em Curitiba, vendo o céu nascer quadrado. Renan Calheiros que de tanto mexer com pedras, uma delas acabou caindo sobre sua cabeça. O senador Renan Calheiros que resolveu desafiar o Poder Judiciário e tomar os brasileiros por ‘tolos e descerebrados’. Esse político alagoano que acaba de virar réu no STF e ainda tem 11 inquéritos tramitando contra ele na Suprema Corte, e esse número poderá aumentar mais ainda com a homologação das delações da Odebrecht.

O mundo de Renan Calheiros, um dos mais ladinos políticos brasileiros na atualidade, parece que começou a cair, com o julgamento de uma ação que o transformou em réu, por crime de peculato.

Embora não diga que está sendo encurralado pelos acontecimentos, a aparência de Renan Calheiros é de quem anda sofrendo de insônia e que começa a ser abandonado pelo partido, assim como foi o seu companheiro de aventuras e partido, Eduardo Cunha.


Entender o 'espírito do tempo' é ter a capacidade de discernir a mudança de humor e o nível estresse da sociedade - para com os seus "representantes".
Postar um comentário