terça-feira, 19 de maio de 2015

A pessoa bruta sofre menos

O homem que tem acesso ao conhecimento e tem a capacidade de adquirir e assimilar percepções se julga um ser superior e, portanto, uma pessoa feliz com relação à pessoa rude, mas isso não passa de um engano, porque se a pessoa sem educação formal sofre males físicos, por não ter o preparo necessário para progredir na vida, a pessoa bem educada sofre de males psicológicos, porque se descobre muito cedo um ser condenado a um destino trágico, no caso, a morte inescapável.

O existencialismo que cuida basicamente do homem na relação consigo mesmo e com o mundo circundante, diz que uma atitude existencial é uma sensação de desorientação e confusão num mundo aparentemente sem sentido e absurdo. Um mundo onde o homem é responsável pelo seu próprio destino e risco. Essa certeza é que desorienta o homem e o deixa confuso e perplexo.

A pessoa bruta ou ignorante não questiona o seu existir, a natureza, o seu destino trágico e a criação do mundo. Tudo para ele se resume em sexo, comida e descanso. Já o homem sábio se abisma, interroga, questiona, opina e se julga com capacidade para construir um mundo menos complexo, absurdo e cruel.

Joaquim Severino José

Postar um comentário