quarta-feira, 13 de maio de 2015

O Brasil nunca chegará a ser uma nação



O Brasil nunca chegará a ser uma nação, pelo menos no que diz o conceito de nação. Um país, onde os seus habitantes são todos regidos pelas mesmas leis. No escopo da nossa Constituição Federal e nos códigos penal e civil, todo brasileiro é igual e goza dos mesmos direitos. Isso no texto frio da lei, porque quando se trata da sua aplicação, via de regra, o que prevalece é a lei do mais forte e poderoso sobre o mais fraco ou do rico sobre o pobre.

No Brasil, por exemplo, quando um magistrado comete um crime, a sua maior punição é a sua aposentadoria compulsória, o que acaba sendo mais um prêmio do que uma punição, porque o aposentado não perde nenhuma vantagem, o salário continua sendo o mesmo e não trabalha.

Os políticos que gozam de imunidade, quando são julgados em plenário, quando o voto é secreto, geralmente são absolvidos, porque nesse caso o espirito de corpo funciona. O famoso corporativismo se manifesta e o parlamentar continua com o seu mandato, embora seja um criminoso.

O Brasil é o país do faz de conta. É um país com as mesmas características dos países subdesenvolvidos, atrasados, verdadeira republiqueta de banana, com poucas e sutis diferenças de países como Honduras, Guatemala, Paraguai, El Salvador e Nicarágua. Isso para ficar só nos países da América do Sul e América Central. 
Postar um comentário