quinta-feira, 9 de julho de 2015

"Até tu, Brutus?"


O Brasil é uma parte do mundo, onde tudo acontece. Até o presidente de o Senado virar réu e continuar presidindo uma das casas do Congresso Nacional. O que num país minimamente sério não acontece.

A Justiça Federal de Brasília aceitou denúncia feita pelo Ministério Público Federal contra Renan Calheiros. “Nesse processo, o senador é acusado de enfiar no Orçamento da União emendas que favoreceram a construtora Mendes Júnior. Em troca, um lobista da empresa bancou o custeio de uma filha que Renan teve em relacionamento extraconjungal com uma repórter. Com isso, o Senado da República passa a ser presidido por um réu”. O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) que consta da lista da Operação Lava Jato e que poderá tornar-se réu num novo processo.

A proposito: o presidente da Câmara Federal, o deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), assim como o senador Edson Lobão (PMDB-MA), constam também da lista da Operação Lava Jato. Operação essa que está deixando mais de três dezenas de políticos com os nervos à flor da pele.    
Em tempo: dois nomes aparecem neste momento como sendo capazes de passar o Brasil a limpo, caso aceitem disputar em 2018 à presidência da república: o juiz Sérgio Moro e o ex-ministro do STF, Joaquim Barbosa.

Diga-se de passagem, que o governador do estado do Maranhão, o comunista Flávio Dino abandonou a magistratura para virar político e tentar salvar o Maranhão. Se vai conseguir, ai são outros quinhentos.

O maior problema do Brasil e do governo Dilma Roussef em particular é o PMDB. 

Siga no  Twitter, no Facebook e no Portalaz ao blog Dom Severino 
Postar um comentário