domingo, 19 de julho de 2015

4º encontro gastronômico de governadores do Nordeste

Flávio Dino não participou do encerramento do encontro de "secos e molhados"

Flávio Dino na sua visita a um Shopping Center em Teresina esbarrou com um seu conterrâneo de Tutoia

Na semana passada o estado do Piauí sediou o 4º encontro de governadores da região Nordeste. Um encontro de discussões estéreis, de comes e bebes (mesas fartas) e passeios turísticos.

Se foi 4º encontro de governadores da região Nordeste é porque, já existiram outros três e os resultados desses encontros não resultaram em nenhum benefício para os nordestinos. Eu pelo menos não conheço nenhuma reivindicação tirada desses encontros que tenham resultado numa grande conquista para esta região.

Esses encontros podem até ser realizados com as melhores das intenções, mas, ocorre que os governadores da região Nordeste não tem poder coletivo e muito menos individual. O governador Wellington Dias, por exemplo, mesmo sendo um governador filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT), o mesmo da presidenta Dilma Rousseff, no exercício do seu terceiro mandato não conseguiu sequer indicar o presidente da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco, Parnaíba, Mearim e Itapecuru (CODEVASF) nesta e nas outras suas gestões.

Na região Nordeste, os únicos estados que ainda conseguem atrair grandes projetos são os estados da Bahia, Ceará e Pernambuco. Não necessariamente nessa ordem. Mas nada comparado com os estados das regiões Sul e Sudeste. Cito dois exemplos: os times de futebol dos estados de Santa Catarina e Paraná são todos patrocinados pela Caixa Econômica Federal. O Sampaio Correia Futebol Clube, do estado do Maranhão vem tentando conseguir um patrocínio da CEF e não consegue.  O estado do Rio Janeiro sedia todos os grandes eventos, até religiosos. 

Os estados da região Nordeste para terem peso político e serem atendidos nas suas reivindicações mais legitimas, deveriam atuar em bloco, com as bancadas nordestinas na Câmara Federal e no Senado defendendo interesses comuns dos nordestinos. Mas, não é isso que acontece. Cada estado nordestino é uma ilha.

Na realidade, esses encontros só têm servido mesmo para os governadores e os seus staffs fazerem turismo, como o governador do estado do Maranhão que aproveitou um espaço livre nesse encontro e visitou o Parque Nacional da Serra da Capivara.

Para inicio de conversa, entre todos os governadores nordestinos presente a esse encontro, não existe nenhum com capacidade para liderar uma frente de governadores do Nordeste nos contatos com a presidenta Dilma Rousseff e os seus ministros. Perdão, existe um, o governador Flávio Dino, o mais bem preparado intelectualmente, mas que por ter feito uma opção errada na campanha eleitoral de 2014 ao apoiar o candidato Aécio Neves, tornou-se persona non grata no governo Dilma.   

Siga no  Twitter, no Facebook e no Portalaz ao blog Dom Severino
Postar um comentário