quinta-feira, 22 de outubro de 2015

O país da farsa organizada e do poder sem pudor



Deputado federal Hugo Mota (PMDB-PB)

Os aliados do presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha sem nenhum constrangimento concluíram a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras - sem indiciar nenhum parlamentar e sem fazer constar no relatório final os nomes do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, da ex-presidente da Petrobras Garças Foster e da presidenta Dilma Rousseff, que antes de assumir a Casa Civil no governo Lula, foi ministra de Minas e Energia (MME).

O presidente dessa CPI, o peemedebista Hugo Mota não aceitou a prorrogação dessa comissão, para evitar o constrangimento de convocar para depor o seu aliado e quem o indicou para presidir essa CPI, no caso, o deputado federal e presidente da Câmara Federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O PSOL bem que tentou prorrogá-la, mas em vão, pois a maioria dos integrantes da CPI da Petrobras são amigos de Cunha.

O país assistiu mais uma vez bestificado a essa encenação grotesca que foi essa CPI da Petrobras. Um verdadeiro “teatro do absurdo” de desfaçatez, de sem cerimônia e do poder sem pudor.

Milhões de reais foram gastos com os passeios dessa gente que envergonha e humilha este país. Bichos escrotos! É óbvio que existem exceções no Congresso Nacional. Podbre Brasil!
Postar um comentário