terça-feira, 10 de novembro de 2015

A nossa maior crise é de credibilidade



O povo brasileiro anda muito descrente de tudo e de todos. As pesquisas de opinião pública revelam a descrença do brasileiro nas suas instituições, nas suas autoridades e nos políticos de um modo geral. A falta de confiança nas nossas instituições e autoridades se revela de maneira a mais cruel, através do carioca que diz preferir os bandidos aos policiais.

A crise de credibilidade pode ser considerada a mãe das outras crises, porque dela se origina a crise econômica, política e institucional. Sem confiar na sua classe dirigente, o empresariado não se sente seguro para investir no seu negócio e em novos negócios. O que acaba provocando o desemprego e impede o surgimento de novos empregos.

Não há investidores inclinados a aplicar suas energias e capitais em países ou empresas inseguras. Eles são avisados quanto à segurança e quanto aos perigos pelas chamadas agências de risco.

O governo da presidenta Dilma Rousseff anda mal das pernas, mas os partidos que se apresentam como uma alternativa ao seu governo não são confiáveis. O PMDB, por exemplo, que divide o governo com PT, oportunisticamente tenta abandonar o barco do governo Dilma Rousseff para que numa eventual renuncia ou sofrimento de um impeachment da presidenta o seu vice-presidente Michel Temer assuma o seu lugar. Esse comportamento ‘escroto’ do PMDB faz aumentar ainda mais a desconfiança do povo brasileiro naqueles que formam o poder. 

Postar um comentário